Reconhecimento da Hipnose pelo CFP - Fernando Ongaro Hipnose
Hipnose e Hipnoterapia - tratamento rápido para diversas aflições mentais e psicológicas. Descubra como a Hipnose pode transformar você.
hipnose, hipnoterapia, terapia, depressão, ansiedade, fobia, fobias, fobia social, síndrome do pânico, fernando ongaro, ongaro, ongaro hipnose, gestação, parto sem dor, fibromialgia, emagrecer, compulsão, compulsão alimentar, bulimia, anorexia
389
post-template-default,single,single-post,postid-389,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-social-login-2.0.1,customer-area-active,qode-page-transition-enabled,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,transparent_content,qode-theme-ver-26.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.6.0,vc_responsive
 

Reconhecimento da Hipnose pelo CFP

Reconhecimento da Hipnose pelo CFP

Tendo em vista a atual repercussão da Hipnose na mídia e as opiniões de alguns profissionais da psicologia em relação a estes eventos, cabe ressaltar que a Hipnose é reconhecida como ferramenta auxiliar válida pelo Conselho Federal de Psicologia desde o ano 2000, através da resolução CFP 013/00, de 20 de dezembro de 2000.

Desta forma, contrário ao que alguns profissionais vêm se colocando, a Hipnose é sim uma ferramenta válida, cientificamente comprovada, com milhares de estudos nas mais diversas áreas da medicina e da psicologia e com sua eficácia comprovada por esses estudos e reconhecida pelo próprio órgão que regulamenta a prática da psicologia no Brasil.

Cabe ainda ressaltar que a aplicação da Hipnose não é restrita, sob nenhuma legislação nacional, ao profissional da psicologia.

Abaixo, segue o texto da resolução:

RESOLUÇÃO CFP N.º 013/00
DE 20 DE DEZEMBRO DE 2000

Aprova e regulamenta o uso da Hipnose como recurso auxiliar de trabalho do Psicólogo.

O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, que lhe são conferidas pela Lei nº 5.766, de 20 de dezembro de 1971 e;

CONSIDERANDO o valor histórico da utilização da Hipnose como técnica de recurso auxiliar no trabalho do psicólogo e;

CONSIDERANDO as possibilidades técnicas do ponto de vista terapêutico como recurso coadjuvante e;

CONSIDERANDO o avanço da Hipnose, a exemplo da Escola Ericksoniana no campo psicológico, de aplicação prática e de valor científico e;

CONSIDERANDO que a Hipnose é reconhecida na área de saúde, como um recurso técnico capaz de contribuir nas resoluções de problemas físicos e psicológicos e;

CONSIDERANDO ser a Hipnose reconhecida pela Comunidade Científica Internacional e Nacional como campo de formação e prática de psicólogos,

RESOLVE:
Art. 1º – O uso da Hipnose inclui-se como recurso auxiliar de trabalho do psicólogo, quando se fizer necessário, dentro dos padrões éticos, garantidos a segurança e o bem estar da pessoa atendida;

Art. 2º – O psicólogo poderá recorrer a Hipnose, dentro do seu campo de atuação, desde que possa comprovar capacitação adequada, de acordo com o disposto na alínea “a” do artigo 1º do Código de Ética Profissional do Psicólogo.

Art. 3º – É vedado ao psicólogo a utilização da Hipnose como instrumento de mera demonstração fútil ou de caráter sensacionalista ou que crie situações constrangedoras às pessoas que estão se submetendo ao processo hipnótico.

Art. 4° – Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 5° – Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília (DF), 20 de dezembro de 2000.

ANA MERCÊS BAHIA BOCK
Conselheira-Presidente



×